O progresso "mata", mas não pode parar

11:51 Renan Castro 0 Comentários



Poderia começar de várias formas, dentre essas vou escolher a mais descritiva.
Sempre existiu e sempre irão existir empresas falindo, jogos parando de ser produzidos, mas você como gamer e/ou simpatizante de jogos em geral, imaginou um cenário de jogos virtuais como ele se configura atualmente? Sim?

Eu também mas vamos ser sinceros, alguém achava que o jogo que explodiu no mundo com inúmeros jogadores delirando a cada tiro seria hoje apenas um coadjuvante do gênero FPS? É CS, você foi engolido pela evolução digital inevitável. Ainda falando dos exemplos, alguém em algum momento da vida cogitou a possibilidade de PES/Winning Eleven perder o trono de melhor jogo de futebol (disparado até alguns anos atrás) para a franquia FIFA ?

Já se foi provado que não existe o direito de se acomodar, quando se trata deste ramo, se acomodar pode significar “morrer” na indústria, além dos exemplos citados podemos ainda citar Medalha de Honra, MU, Perfect World, Crash Bandicott, Final Fantasy...

Porem na minha opinião existe a ilustração perfeita para o tema que quero abordar aqui, um personagem que corria em velocidades inimagináveis até em baixo d´água, tinha uns amigos meio loucos e no fim de todas as fases, virava uma plaquinha.

Sonic, como não lembrar do fenômeno da SEGA?

Um jogo simples, uma aventura saudável e viciante que parecia que iria durar a vida inteira, a repercussão era abissal e o dinheiro ganho com os jogos também, mas o tempo foi passando, passando e passando...

2015, a SEGA quase foi extinta devido a problemas financeiros e hoje em dia dá as caras apenas em raros jogos, a franquia Sonic começou sua decadência vertiginosa com o lançar das novas gerações de consoles, os jogos foram ficando cada vez piores bem como a paciência dos fãs que esperavam por outro daqueles jogos memoráveis, hoje em dia Sonic se limita em aparecer em “compilado de jogos antigos” ou em versões customizadas do seu mundo, algo como corridas de carro animadas ou até de skates voadores (sim, voadores).

Aham, voadores
Mas é claro que nem tudo é 100% ruim, a evolução digital também pode ser (e na maioria da vezes é) um aditivo quando o assunto é games em um contexto geral  e para isso existe um outro exemplo mais que perfeito.

Grand Theft Auto, o nosso tão amado G.T.A

Começou como um jogo simples, que aos poucos foi ganhando espaço próprio, explorou um campo ainda pouco conhecido do grande público, que era o tal do “fazer o que quiser sem regras”, pode botar fogo em pessoas, matar policiais, atirar em crianças talvez seja por isso que ainda é proibido em alguns países ao redor do mundo.

E com o tempo ao contrario de Sonic, GTA teve uma ascendente vertiginosa e surpreendentemente continua no topo e por lá deve ficar por anos e anos. GTA San Andreas na minha opinião foi o divisor de águas depois do vislumbre de algo fantástico com Vice City, San Andreas confirmou toda a expectativa que propôs, GTA IV continuou evoluindo até que chegamos no auge mais perfeito da franquia até hoje, GTA V.

A monalisa dos games!

O mais importante a Rockstar consegue fazer com perfeição, que é superar –se cada ano mais, GTA continua em crescente desde seu primeiro jogo, não houve nenhum momento em que você pode falar “tal jogo antigo deles ficou melhor que esse novo”, os cara inovam com uma propriedade imensa, é arte.

A evolução é mesmo cruel com games como Sonic, mas olhando para o outro lado desta faca, pode ser a maior válvula de escape para um jogo, a questão principal é que sempre existirá um GTA para cada Sonic.


E segue o jogo!

Siga no Facebook: Quem Liga?

0 comentários: